Antigo Chafariz da Praça do Comércio

O chafariz da Praça do Comércio, atual Conde dos Arcos, começou a ser instalado em 1855, conforme referência de Manoel Querino (A Bahia de Outrora, 1946). Foi o primeiro chafariz do sistema de Águas do Queimado a ser instalado.

As obras foram orientadas pelo engenheiro francês José Revault, que trabalhava na Fábrica de Tecidos de Santo Antônio do Queimado, localizada ao lado das instalações da Companhia de Águas.

Esse chafariz, confeccionado em ferro fundido, com tanque de mármore de Carrara, foi inaugurado em oito de dezembro de 1856, junto com outros chafarizes da Cidade. Tinha 4,6 metros de altura. A escultura no topo tinha 1,3 m. Veja, abaixo, a folha de catálogo desse chafariz, publicada em 1853. As esculturas são francês Hubert Lavigne (1818-1882).

Esse modelo de chafariz foi fabricado pela francesa Val d'Osne e figurou na Grande Exposição de Londres, de 1851.

Esse belo chafariz já não estava na Praça no início do século 20. De acordo com Silio Boccanera Junior (Bahia Histórica, 1921), ele foi relocado, já meio mutilado, para a Praça Almirante Moniz, hoje, parte da área do Colégio Central, em Nazaré (foto abaixo). Atualmente, o local abriga quadras esportivas.

 

Turismo em Salvador

 

Essa é uma parte da fotografia de Lindemann, de cerca de 1890, em que se vê o chafariz da Praça do Comércio.

 

Desenho Salvador

 

Chafariz

 

Este é o antigo Gymnasio da Bahia, atual Colégio Estadual da Bahia, o Central, em Nazaré. Fotografia de postal Edição Almeida & Irmão, por volta do início do século 20.

Note o chafariz, à esquerda, o mesmo que estava na Praça do Comércio.

 

Este é o chafariz da Place Chevandier, em Cirey-sur-Vezouze, na França, instalado em 1905, e que ainda existe. Modelo similar ao que existia na Praça do Comércio, em Salvador. Outros chafarizes desse modelo ainda existem na Cidade do México e em Selkirk (similar), na Escócia.

 

Este é o mesmo modelo de chafariz, que ainda existe na Alameda Central da Cidade do México, instalado em 1854. Escultura de Hubert Lavigne.

 

O tritão e tartaruga, em ferro fundido, que também decorou o chafariz da Praça do Comércio, do escultor Hubert Lavigne (1818-1882). Essa escultura foi vendida na Sotheby’s por 7.500 euros. O chafariz possuía três delas.

Hubert Lavigne também foi o escultor de um chafariz que existiu no Largo Dois de Julho.

 

A Praça do Comércio, cerca de 1873, com uma ilustração do chafariz.

 

Fonte

 

Atual Conde dos Arcos

 

Catalogo

 

Gymnasio da Bahia

 

Copyright © Guia Geográfico - antigos chafarizes da Bahia.

 

Fonte escultura

 

Tritão

 

Salvador

 

 

 

 

 

Por Jonildo Bacelar

 

Foto Víctor Mariano Alejandro Chávez Rojas